Em busca do primeiro lugar no Google e Yahoo!

Por que cada vez mais empresas querem obter boas colocações em sites de busca como Google e Yahoo!? No início do ano, o site alemão da montadora BMW foi banido do Google porque os programadores trapacearam, segundo a principal empresa de busca do mundo. Eles teriam criado um mecanismo que enganava as milhares de máquinas que varrem a internet, conhecidas no jargão tecnológico como robôs. O código garantia que o site bmw aparecesse sempre em primeiro lugar na lista de resultados em determinadas pesquisas.

A fabricante de eletrônicos Ricoh, também da Alemanha, foi penalizada pelos mesmos motivos. Ricoh e BMW cometeram o deslize ético porque sabem que os mecanismos de busca tornaram-se a principal vitrine online para qualquer empresa que queira exposição na rede.

Oito em cada dez internautas usam ferramentas de busca como Google ou Yahoo! para encontrar de tudo, inclusive empresas cujo endereço na rede é óbvio - como no caso da montadora alemã. E não basta ser exibido no meio da lista.

Quanto melhor for a colocação, maiores as chances de que a empresa seja encontrada. Essa necessidade de adequação - por meios legítimos - dos sites rapidamente deu origem a um novo negócio, o de otimização de sites. No ano passado, mais 1,2 bilhão de dólares foi investido em SEO (sigla em inglês para search engine optimization). Neste ano, o total deve aumentar 150%, segundo a consultoria especializada Sempo.

E não há sinal de que esses valores parem de crescer tão cedo. Os métodos que os sites de busca usam para criar seus rankings mudam periodicamente.

O classificado MercadoLivre, um dos maiores sites de comércio eletrônico do país, destinou cinco pessoas de seu departamento de marketing e quatro programadores para garantir um bom lugar nas buscas. "O trabalho é dinâmico e interminável", afirma Stelleo Tolda, presidente da empresa.

De dois anos para cá, o site melhorou significativamente sua posição. Se no passado alguém fizesse uma busca procurando termos como DVD player ou celular, o nome MercadoLivre dificilmente apareceria na primeira página do Google. Hoje, dependendo da categoria, ele surge logo nas cinco principais colocações.

O resultado foi tão positivo que a empresa praticamente abandonou a publicidade tradicional na internet. O contra-exemplo são as montadoras. Metade dos interessados num carro novo faz pesquisas na rede antes de decidir a compra. Mas basta procurar por um modelo específico e são enormes as chances de que os primeiros resultados não sejam os sites oficiais.

Os algoritmos usados pelos mecanismos de busca para decidir quais são os resultados mais relevantes para a pesquisa dos usuários estão entre os maiores segredos do mundo da tecnologia.

Poucas empresas no Brasil conhecem a "fundo" as formas corretas de otimização de um site. Por este motivo o mercado ainda não decolou no mercado brasileiro como já acontece a mais de 3 anos nos Estados Unidos.

Obter boa colocação em sites como Google e Yahoo! é fundamental. Veja por quê:

> 8 bilhões de buscas são feitas mensalmente na internet
> 85% dos usuários encontram o que precisam na web via sites de busca
> 60% dos internautas clicam nos três primeiros resultados da busca
> 80% dos internautas não vão para a segunda página dos resultados da busca


Último Projeto
Cases de Sucesso
© copyright 2009 designvix - Politica de privacidade
(CSS) O que isso significa!
 | 
(XTML) O que isso significa!